JOGOS PAN-AMERICANOS DE LIMA

Brasil conquista mais três medalhas de ouro na vela nos Jogos Pan-americanos de Lima

210.V

Jonne Roriz/COB
Neste sábado, país ainda ganhou mais uma prata e um bronze, terminando na liderança do quadro de medalhas da modalidade

Neste sábado, país ainda ganhou mais uma prata e um bronze, terminando na liderança do quadro de medalhas da modalidade

A vela brasileira fechou sua participação nos Jogos Pan-americanos de Lima com chave de ouro. Neste sábado (dia 10), na Baía de Paracas, o Brasil faturou mais três medalhas de ouro. Martine Grael e Kahena Kunze, na 49erFX, Bruno Lobo, na Fórmula Kite, e Matheus Dellagnelo, na Sunfish, subiram no topo do pódio. O país ainda ganhou a prata com Claudio Biekarck, Gunnar Ficker e Isabel Ficker, na Lightning, e o bronze com Juliana Duque e Rafael Martins, no Snipe.

Na sexta-feira (dia 9), o Brasil havia conquistado dois ouros (Patricia Freitas, na RS:X feminina, e Marco Grael e Gabriel Borges, na 49er), uma prata (Bruno Fontes, na Laser) e um bronze (Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino, na Nacra 17). Com isso, o Time Brasil somou 9 medalhas, em 11 classes, sendo cinco ouros, duas pratas e dois bronzes. O resultado deu a liderança no quadro de medalhas da vela, seja por total de ouros, seja por total de medalhas.

Campeãs mundiais em 2014 e olímpicas na Rio 2016, Martine e Kahena conquistaram o ouro nos Jogos Pan-americanos pela primeira vez. Em Toronto 2015, a dupla havia ficado com a prata. Com boa vantagem de pontos na classificação geral, elas entraram na regata da medalha precisando apenas completar o percurso. Elas terminaram a regata na terceira posição.

“Depois do Pan de Toronto, essa medalha tem um gosto especial. Foi um campeonato mais tranquilo para nós por conta das condições climáticas”, disse Kahena. “São poucos atletas que conquistaram esses três principais campeonatos e estamos felizes de entrar para esse clube”, afirmou Martine.

Na Sunfish, Matheus Dellagnelo entrou na regata da medalha na liderança. Ele chegou em segundo lugar na disputa decisiva e garantiu seu lugar no topo do pódio. “Foi uma experiência muito boa disputar o Pan. Fui me sentindo bem a cada dia na competição, a confiança foi aumentando e deu ouro. Sensação muito boa vencer”, disse o velejador, que já havia sido campeão na mesma classe nos Jogos Pan-americanos de Guadalajara 2011.

O terceiro ouro do Brasil neste sábado veio na Fórmula Kite. Bruno Lobo também entrou na regata da medalha precisando apenas completar o percurso para garantir sua vitória. Diferentemente das outras classes, a Fórmula Kite tem sua disputa dividida em três regatas. O brasileiro ignorou o título antecipado e venceu todas.

Quem também fez história neste sábado foi o veterano Claudio Biekarck. Aos 68 anos, o atleta mais velho da delegação brasileira em Lima e o brasileiro com mais participações em Jogos Pan-americanos, alcançou a marca de dez medalhas em dez participações. Além da prata conquistada em Lima, ele soma o ouro em Caracas 1983; a prata na Cidade do México 1975, Indianápolis 1987, Mar del Plata 1995 e Winnipeg 1999; e o bronze Havana 1991, Rio 2007, Guadalajara 2011 e Toronto 2015. Todas as medalhas foram conquistadas na Lightning, com exceção da obtida no México. Na ocasião, ele competiu na Finn.

“Estamos saindo do Pan muito contentes com o resultado. Andamos bem com vento forte, a prata foi muito boa para nós. Ganhar minha décima medalha me traz uma satisfação de sempre ter representado bem o Brasil. Uma alegria competir pela décima vez e ver que ainda sou competitivo com a idade que tenho”, disse Biekarck.

Na classe Snipe, Juliana e Rafael entraram na regata da medalha na terceira posição. Com o segundo lugar na disputa decisiva, garantiram o bronze para o Brasil.

www.cob.org.br
Comitê Olímpico Brasileiro

Mais...

Buscas

Todas as notícias

Publicidade
  • Judocam 300x250 - Pai, invista...
  • Aulas
  • PARA ABENÇOAR

Outras notícias...