Recorde de medalhas

Brasil encerra Lima 2019 com 29 vagas olímpicas e recorde de medalhas

174.V

Delegação de 481 atletas leva o país ao segundo lugar no quadro de medalhas após 56 anos

Delegação de 481 atletas leva o país ao segundo lugar no quadro de medalhas após 56 anos

Foi uma campanha inédita na história dos Jogos Pan-americanos, com direito a recordes de ouros (55) e total de medalhas (171). Pela primeira vez desde São Paulo 1963, o Brasil termina o evento em segundo lugar no quadro geral de medalhas, atrás somente dos Estados Unidos. De quebra, ainda conquista 29 vagas olímpicas para Tóquio 2020, principal objetivo do COB em Lima.

"Temos que exaltar o resultado, porque mostra o bom momento de várias modalidades. Voltamos ao segundo lugar no quadro de medalhas após 56 anos, outro dos objetivos traçados para Lima. Apresentamos evolução em vários esportes, tendo aumentado o número de modalidades que foram ao pódio. Esse é um trabalho que vem sendo desenvolvido há algum tempo, de firmar parcerias com as confederações e tentar entender as necessidades de cada uma delas", disse Marco Antônio La Porta, Chefe de Missão em Lima 2019 e Vice-presidente do COB.

Confira todas as medalhas do Time Brasil nos Jogos Pan-americanos Lima 2019

Ao todo, 41 modalidades conquistaram medalhas em Lima, sendo que 22 ganharam ao menos um ouro. Para completar a série de números expressivos, 18 modalidades melhoraram seus resultados em relação a Toronto 2015, enquanto 11 delas fizeram as melhores campanhas em todas as edições dos Jogos.

"Foi uma competição longa, com muitos eventos (420), e os resultados apresentaram um número bem interessante de aletas jovens com medalhas (97 com 23 anos ou menos) e de mulheres campeãs (20 ouros). Apesar de ter sido uma competição difícil, foi muito gratificante pela boa performance apresentada em muitos esportes", contou Jorge Bichara, Diretor de Esportes do COB.

Galeria de fotos: Veja as imagens da Cerimônia de Encerramento dos Jogos

Prover as melhores condições aos atletas é uma das razões para o sucesso do Time Brasil na capital peruana. Dentro desse cenário, cabe destacar a atuação do Laboratório Olímpico na cidade-sede dos Jogos. Foram 777 atendimentos realizados, entre consultas e a área laboratorial, que oferece exames e análises bioquímicas, entre outras coisas.

"Se queremos estar em condições de igualdade com os principais países, precisamos cada vez mais da ciência do esporte e ter profissionais qualificados para utilizar os recursos disponíveis", afirmou Bichara.

Com o término do Pan, as atenções do COB se voltam ainda totalmente para Tóquio 2020. Os velejadores Jorge Zarif (classe Finn), Robert Scheidt (Laser) e a dupla Ana Barbachan e Fernanda Oliveira (470) já estão em Enoshima se ambientando ao palco das competições no ano que vem, onde será realizado o evento-teste da modalidade, a partir do próximo final de semana.

Quem também desembarca em breve no país são os judocas brasileiros, que disputam o Campeonato Mundial entre 25 de agosto e 1 de setembro, na capital japonesa.

Veja a lista de vagas olímpicas conquistadas pelo Time Brasil em Lima:

- Handebol feminino (14 atletas)
- Hipismo adestramento (3)
- Hipismo CCE (3)
- Hipismo saltos (3)
- Vela – classe 49er (2)
- Pentatlo moderno – Iêda Guimarães (1)
- Tênis – João Menezes (1)
- Tênis de mesa – Hugo Calderano (1)
- Tiro com arco – masculino (1)

www.cob.org.br
Comitê Olímpico do Brasil

Mais...

Buscas

Todas as notícias

Publicidade
  • Judocam 300x250 - Pai, invista...
  • Aulas
  • PARA ABENÇOAR

Outras notícias...