Se classificou

Brasil classifica equipes feminina e masculina do tênis de mesa para os Jogos Olímpicos de Tóquio

545.V

Diana Yalico/ULTM
Time feminino passa por Porto Rico por 3 a 0 na decisão do Pré-olímpico Latino, enquanto o masculino vence a Argentina em duelo apertado

Time feminino passa por Porto Rico por 3 a 0 na decisão do Pré-olímpico Latino, enquanto o masculino vence a Argentina em duelo apertado

O tênis de mesa brasileiro terá as duas equipes nos Jogos Olímpicos de Tóquio. A equipe feminina conseguiu a classificação após uma vitória arrasadora sobre Porto Rico por 3 a 0, enquanto os homens confirmaram o favoritismo e carimbaram o passaporte para o Japão com uma vitória apertada sobre a Argentina por 3 a 2, na última rodada do Pré-Olímpico Latino de Equipes. A competição foi disputada na Villa Deportiva Nacional, em Lima, capital peruana e chegou ao fim neste domingo (27).

Dois atletas das equipes que forem convocadas para a Olimpíada poderão disputar também a competição individual, nos dois naipes. Os times olímpicos serão formados por três atletas, sendo que Hugo Calderano já tem vaga garantida no masculino. As duas melhores meninas no ranking mundial na época da convocação e o melhor homem (além de Calderano) serão convocados. A terceira vaga será definida pela comissão técnica.

A noite de domingo (28) começou com a classificação feminina. O primeiro jogo era o de duplas, considerado o fiel da balança para a vitória no confronto, segundo o técnico Hugo Hoyama. Caroline Kamahara e Jessica Yamada entraram muito atentas e venceram o equilibrado duelo com as porto-riquenhas Melanie Diaz e Daniely Rios, por 3 a 1 (12/10, 8/11, 12/10 e 11/9).

A partida seguinte era cercada de muita expectativa, por se tratar do duelo das duas melhores atletas da América Latina. E Bruna Takahashi, 53ª colocada no ranking mundial, não teve piedade de Adriana Diaz, 27 do mundo. Uma vitória por 3 a 0 (11/8, 11/8 e 12/10), mostrando que o time brasileiro não tinha vontade de dar espaço para uma nova surpresa, como havia acontecido no Pan, em agosto.

Caroline Kumahara tinha a missão de carimbar a classificação para Tóquio. Perdeu o primeiro set para Melanie Diaz, por 11 a 7. Foi melhor no segundo, vencendo por 12 a 10. No terceiro, fez um set irretocável, com 11 a 1 no placar. Mostrando uma força impressionante, Caroline continuou agressiva no quarto set, vencido por 11 a 9, fechando a partida em 3 a 1 e garantindo a vaga olímpica.

“Me sinto muito feliz, estou muito orgulhosa da nossa equipe. Sabíamos que a partida de duplas era muito importante e conseguimos a vitória. A Bruna entrou muito confiante, venceu e me deu ainda mais confiança para o último jogo”, ressaltou Caroline Kumahara.

“A sensação é a melhor possível. Para mim, foi a melhor partida que elas fizeram nos seis anos que estou como técnico da Seleção. Elas merecem, treinaram bastante. Essa classificação é toda mérito delas. Será minha oitava Olimpíada”, comemorou o técnico Hugo Hoyama.

No masculino, a vitória sobre a Argentina foi confirmada já na madrugada desta segunda-feira (28) no Brasil. Na primeira partida, os brasileiros já perceberam que não seria fácil o duelo. Gustavo Tsuboi e Vitor Ishiy viram os argentinos Horacio Cifuentes e Gastón Alto abrirem 7 a 0 e fecharem em 11 a 6. No segundo set, os argentinos seguiram tomando as rédeas do confronto e tiveram oportunidade de fechar. Mas os brasileiros evitaram o fim da parcial e conseguiram virar, para 18 a 16.

O equilíbrio seguiu no terceiro set. Desta vez, a dupla brasileira conseguiu fechar em 11 a 9. Na parcial seguinte, Cifuentes e Alto abriram vantagem de 9 a 6. Os brasileiros reagiram, buscaram o empate, mas os argentinos devolveram o placar do quarto set, ganhando moral para a parcial decisiva, onde venceram por 11 a 5, após mais de uma hora de confronto.

Hugo Calderano veio na sequência, para enfrentar Pablo Tabachnik, o pior argentino da equipe no ranking mundial, 440 posições abaixo do sexto do mundo. O brasileiro venceu com certa tranquilidade, por 3 a 0 (11/7, 11/4, 11/7).

No terceiro confronto, Gustavo Tsuboi enfrentou Horacio Cifuentes. E o argentino seguiu em seu estilo agressivo, além de se defender muito bem. O brasileiro caiu, por 3 a 1 (7/11, 13/11, 8/11 e 9/11), e a Seleção passou a precisar das duas vitórias seguintes para garantir a vaga. Hugo Calderano voltou para a mesa com o objetivo de bater o argentino Gastón Alto, 108° do ranking mundial, e manter o Brasil vivo na disputa. Novamente, não decepcionou. Vitória por 3 a 0 (11/3, 11/7 e 12/10).

A responsabilidade de vencer o confronto que garantiria a vaga foi de Vitor Ishiy. Brasileiro com ótimos resultados recentes e grande crescimento no ranking mundial, ele mostrou frieza para vencer Pablo Tabachnik, por 3 a 0 (11/6, 11/4 e 11/6). O passaporte estava finalmente carimbado.

“Estou muito feliz de fazer parte dessa equipe. E de fazer um jogo tão emocionante como este, para uma classificação aos Jogos Olímpicos, que era um sonho meu. Sabia que ia ser bem difícil, eles têm atletas fortes e experientes. Já estava preparado”, disse Ishiy.

“É uma sensação muito boa garantir essa vaga. Não foi um campeonato fácil, a Argentina mostrou que pode brigar com muitas potências. Estou muito feliz pela equipe. A gente não entra com expectativas. Não tem nada fácil na América Latina. Podemos treinar bastante para chegar em Tóquio no melhor nível”, projetou Hugo Calderano.

www.cob.org.br
Comitê Olímpico do Brasil

Mais...

Buscas

Todas as notícias