Rumo ao mundial

Seleção Brasileira vai ao Mundial de Atletismo em Dubai com 32 medalhistas do Parapan de Lima

560.V

Alê Cabral/CPB

A Seleção Brasileira de atletismo paralímpico viaja na madrugada da próxima quinta-feira, 31, para Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, onde será realizado o Campeonato Mundial da modalidade. O evento será sediado no estádio de atletismo do Dubai Club for People of Determination, entre os dias 7 e 15 de novembro. A equipe brasileira será representada por 43 atletas nesta que é a nona edição do evento.

Em agosto, 60 competidores do atletismo participaram dos Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019, em que conquistaram 82 medalhas, sendo 33 de ouro, 26 de prata e 23 de bronze. Foi a segunda modalidade mais laureada na capital peruana, atrás apenas da natação. Estarão em Dubai 36 dos atletas brasileiros que competiram no Peru - 32 deles subiram ao pódio no evento continental.

Todas as regiões do país serão representadas neste Mundial de Atletismo. O Sudeste é o responsável pelo maior número de atletas, com 19 participantes. O Nordeste tem a segunda maior representatividade, com nove competidores, seguido pelo Norte, com oito. O Centro-Oeste (quatro) e o Sul (três) também têm sua parcela de integrantes.

"O atletismo é uma modalidade estratégica em nosso planejamento e temos uma expectativa muito boa para a nossa participação no Mundial de Dubai. Construímos ao longo deste ciclo paralímpico uma base ampla de atletas de ponta, o que nos coloca em posição de brigar por uma quantidade expressiva de medalhas. Será uma grande oportunidade para avaliarmos o trabalho e fazer os últimos ajustes antes dos Jogos de Tóquio 2020", disse Mizael Conrado, presidente do CPB.

Esta é também uma das delegações mais heterogêneas em relação à faixa etária. A média de idade da equipe é de 28,6 anos. A mais experiente, no entanto, é a paulista Beth Gomes, favorita nas provas de campo da classe F52, que tem 54 anos. Ela constrasta com o caçula Christian Gabriel, promessa brasileira nos eventos de velocidade da classe F37 (paralisados cerebrais), que tem apenas 17 anos.

Os 43 atletas estão divididos entre 29 homens e 14 mulheres. Por deficiência, a equipe brasileira é composta por 25 pessoas com limitações físicas, caso do paraibano Petrúcio Ferreira, recordista e campeão mundial dos 100m e 200m T47 (para amputados de braço). Dezesete deficientes visuais e um deficiente intelectual também compõem o elenco. Doze atletas-guia estarão à disposição dos atletas em Dubai.

A última edição do Mundial de Atletismo foi realizada em julho de 2017, em Londres. Nesta competição, o Brasil ficou no nono lugar do quadro-geral de medalhas. A equipe nacional foi composta por 25 atletas e conquistou 21 medalhas, sendo oito de ouro, sete de prata e seis de bronze. O melhor desempenho do Brasil em um Mundiais aconteceu em Lyon, em 2013, quando 40 medalhas foram conquistadas (16 ouros, dez pratas e 14 bronzes).

Patrocínio
O paratletismo tem patrocínio das Loterias Caixa e da Braskem.

Time São Paulo
A atleta Elizabeth Gomes é integrante do Time São Paulo, parceria entre o CPB e a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo que beneficia 62 atletas e quatro atletas-guia, de nove modalidades.

www.cpb.org.br
Comitê Paralímpico Brasileiro

Mais...

Buscas

Todas as notícias