Grand Slam de Osaka

Beatriz Souza vence francesa e conquista a medalha de bronze para o Brasil no Grand Slam de Osaka

675.V

Gabriela Sabau/IJF
Campanha da peso pesado brasileira ainda teve vitória sobre a campeã mundial de 2018, Sarah Asahina, do Japão, nas quartas. Único revés foi para a cubana Idalys Ortiz, na semifinal

Campanha da peso pesado brasileira ainda teve vitória sobre a campeã mundial de 2018, Sarah Asahina, do Japão, nas quartas. Único revés foi para a cubana Idalys Ortiz, na semifinal

O judô brasileiro foi ao pódio do Grand Slam de Osaka, no Japão, na madrugada deste domingo, 24, com a peso pesado Beatriz Souza, que venceu Julia Tolofua, da França, na disputa pelo bronze. Foi o melhor resultado do Brasil no último Grand Slam de 2019. O país também teve um quinto lugar, de Larissa Pimenta (52kg), e um sétimo, com Rafael Silva “Baby” (+100kg).

Atual número 7 do mundo, Bia chegou à Osaka como cabeça-de-chave e venceu, com propriedade, suas duas primeiras adversárias na fase preliminar. Primeiro, bateu Jia Wen Tsai, de Taipei, para classificar-se às quartas, onde encarou a japonesa Sarah Asahina, campeã mundial em 2018, e atual número 5 do mundo. A brasileira fez luta parelha com a japonesa, conseguiu encaixar melhor sua pegada e achou o tempo certo para projetar Asahina ao solo e vencer o duelo por ippon.

Na semifinal, Bia não conseguiu passar pela cubana multimedalhista e número um do mundo, Idalys Ortiz, e foi para a disputa pelo bronze. Para ficar com a medalha, ela foi agressiva diante da francesa Julia Tolofua, projetou a adversária marcando um waza-ari e conectou uma imobilização por dez segundos para marcar outro waza-ari e vencer o duelo por ippon (waza-ari-awasete-ippon).

“Gostaria de agradecer o apoio e a torcida de quem ficou acompanhando as lutas. Essa medalha é nossa”, comemorou Bia.

Essa foi a segunda medalha da brasileira em Grand Slam em 2019. Além do bronze em Osaka, ela conquistou o ouro no Grand Slam de Brasília, em outubro.

A próxima competição da seleção brasileira de judô será o World Masters de Qingdao, na China, nos dias 12, 13 e 14 de dezembro. Essa competição é a segunda em importância no Circuito Mundial, atrás apenas do Campeonato Mundial. Distribui até 1800 pontos (ouro) no ranking mundial e é apenas para os 36 melhores judocas de cada categoria no ranking IJF.

Confira os resultados dos outros brasileiros que lutaram neste domingo:

Mayra Aguiar (78kg): cabeça de chave número um do torneio, Mayra parou na jovem Rinoko Wada, do Japão, campeã mundial júnior em 2019, que imobilizou a brasileira.
Rafael Macedo (90kg): caiu na primeira rodada diante de Sanchiro Murao, do Japão, que marcou um waza-ari e segurou a vantagem até o fim.
Leonardo Gonçalves (100kg): perdeu na primeira luta para o Georgiano Varlam Liparteliani, número um do mundo.
Rafael Silva Baby (+100kg): 7º lugar. Cabeça de chave número um, venceu o ucraniano Oleksander Gordienko por waza-ari, mas parou na imobilização de Daigo Kagawa, do Japão, nas quartas. Na repescagem, outro confronto com japonês, Kokoro Kageura, que levou a melhor vencendo a luta por ippon.

www.cbj.com.br
Confederação Brasileira de Judô

Mais...

Buscas

Todas as notícias