Judô

Campeonato Brasileiro Sênior é oficialmente aberto pelo presidente Paulo Wanderley Teixeira

139.V

CBJ
Competição vai reunir 250 atletas de 26 Federações neste final de semana, além de 57 técnicos e 45 árbitros.

Competição vai reunir 250 atletas de 26 Federações neste final de semana, além de 57 técnicos e 45 árbitros.

Será um Campeonato Brasileiro Sênior grandioso. Tanto pelos números quanto pela preparação. Competição vai reunir 250 atletas de 26 Federações, além de 57 técnicos e 45 árbitros, neste final de semana no Centro de Treinamento da CBJ, em Lauro de Freitas, na Bahia. A abertura foi feita pelo presidente Paulo Wanderley Teixeira, que compôs a mesa de honra ao lado do vice-presidente da CBJ, Marcelo França, e dos presidentes das Federações Cearense, José Cardoso Neto; Sergipana, Durval Machado; e Baiana, Marcelo Ornelas, que fez o primeiro pronunciamento.

“É um privilégio para a FEBAJU apoiar a CBJ em todos os eventos do calendário nacional. Gostaria também de agradecer ao presidente Paulo Wanderley por todo o trabalho realizado no judô brasileiro e também no apoio ao judô baiano. Boa sorte e sucesso a todos os atletas e técnicos”, disse Marcelo Ornelas.

O presidente Paulo Wanderley Teixeira destacou a preparação do evento, a arbitragem e saudou os presidentes que não compuseram a mesa.

“Registro a presença dos presidentes da Federação Amapaense, Antônio Viana; de Roraima, Paulo Cezar Ferreira; e da Federação Piauiense, Danys Queiroz, que atuarão como árbitros na competição. Gostaria de parabenizar a equipe técnica da Confederação Brasileira de Judô, na pessoa do gestor técnico Nacional Robnelson Ferreira pelo trabalho realizado. São detalhes que fazem a diferença. E são eles que vão fazer desse campeonato um grande espetáculo. Parabenizar o gestor nacional de arbitragem José Pereira porque os árbitros que atuarão hoje e amanhã são de categoria internacional. Mas também teremos árbitros prestando exame para integrar o quadro nacional. O que mostra que o trabalho está sendo bem feito e despertando interessa”, disse o presidente da CBJ.

Por fim, falou sobre o desempenho do Brasil nos Jogos Olímpicos.

“O judô brasileiro vem de uma campanha vitoriosa nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Um desempenho que o colocou ao lado das grandes potências mundiais. Entre 136 países, o Brasil ficou em sexto lugar e poderia ter ficado em terceiro com mais duas medalhas. Mas a Olimpíada já passou e é um novo ciclo que se inicia. Os atletas campeões poderão participar da Seletiva já visando Tóquio 2020. E nesse recomeço, gostaria de agradecer a todos que formam essa grande família do judô – as academias no mais longínquos recantos, os professores, as Federações que organizam esse processo, enfim, a todos os stackholders do judô brasileiro. Por fim, desejo que os atletas sejam recompensados pelo esforço que fizeram se preparando para a competição”, concluiu.

www.cbj.com.br
CBJ

Mais...

Buscas

Todas as notícias